Image

ESCOLTA

As forças da EPC partem para os estúdios da RTP, escoltando a Junta de Salvação Nacional. Já perto da uma da manhã, a Junta de Salvação Nacional faz a primeira declaração ao país na RTP. Terminava assim o dia que ficou conhecido por todos como o da “Revolução dos Cravos”.

Aos estúdios do Lumiar chegaram António de Spínola, Francisco da Costa Gomes e Silvério Marques, do Exército; Pinheiro de Azevedo e Rosa Coutinho, da Armada e Galvão de Melo da Força Aérea. O general Diogo Neto, também da Força Aérea, fazia parte deste organismo, mas esteve ausente da emissão.

Na leitura do comunicado, feito pelo general António de Spínola, é assegurado – entre outras medidas – a realização de eleições livres e democráticas, o respeito pela liberdade de expressão e pelos direitos humanos.

A Junta de Salvação Nacional teve vários membros ao longo da sua curta existência, vivendo ao sabor dos diferentes momentos deste período revolucionário. Foi extinta em março de 1975 e substituída pelo Conselho da Revolução.