Acontecimentos depois de abril

NOVEMBRO DE 1975 | UM NOVEMBRO TENSO

8 de Novembro

Cerca de 2000 paraquedistas de Tancos pedem para ser colocados sob as ordens do COPCON.


9 de Novembro

O PS promove uma manifestação no Terreiro do Paço de apoio ao 6º Governo, tendo Pinheiro de Azevedo denunciado “as aventuras da esquerda revolucionária e o golpismo do PCP".


13 de Novembro

No seguimento da greve, 100000 operários de Construção Civil cercam S. Bento e sequestram os deputados da Assembleia Constituinte e o Primeiro Ministro. Após 36 horas de cerco, Pinheiro de Azevedo é obrigado a ceder às reivindicações dos operários que exigiam a assinatura de um novo contrato colectivo de trabalho.
Rompimento definitivo de Otelo Saraiva de Carvalho com Pinheiro de Azevedo, por aquele se ter recusado a reprimir os operários em greve.


14 de Novembro

No Porto uma manifestação conjunta de apoio ao 6º Governo, congregando diferentes partidos, desde o PS, PPD e CDS


15 de Novembro

Reunião das Laranjeiras, última reunião antes do 25 de Novembro entre o Grupo dos Nove e o grupo militar que lhe era afecto. Presidida por Pinho Freire, com a presença de Vasco Lourenço, Melo Antunes, Vítor Crespo, Costa Brás, Sousa e Castro, Jaime Neves, Ramalho Eanes, Loureiro dos Santos, Mário de Aguiar, Pimentel, Tomé Pinto, Melo de Carvalho, Salgueiro Maia, e quase todos os comandantes das Bases Aéreas.


16 de Novembro

Cerca de 200 000 pessoas participam numa manifestação contra a política do 6º Governo. Organizada pelo Secretariado Provisório das Comissões de Trabalhadores da Cintura Industrial de Lisboa e UCP's do Alentejo, é apoiada também pelo PCP e pela FUR. No final da manifestação é lida uma mensagem do general Otelo Saraiva de Carvalho


19 de Novembro

Costa Gomes recebe o embaixador norte-americano Frank Carlucci em Belém.
Pinheiro de Azevedo recebe o embaixador soviético Kalinine em S. Bento.


20 de Novembro

Na sessão da Assembleia Constituinte o PS, o PPD e o CDS atacam violentamente o PCP, forças de extrema-esquerda e ainda o gabinete do Primeiro Ministro (acusando-o de trair Pinheiro de Azevedo). Renovam todo o apoio ao 6º Governo. Respondendo a estes discursos, das galerias, repletas de jovens, começou a gritar-se: «Reacionários fora da Constituinte já!». Os deputados do PCP e do MDP associam-se a esta manifestação que só termina quando a Polícia evacua a sala.


21 de Novembro

Juramento de Bandeira dos novos recrutas do RALIS, onde falou como representante das Forças Populares, uma operária da Comissão Coordenadora das Comissões de Moradores e Comissões de Trabalhadores da zona do RALIS.


23 de Novembro

O PS realiza um comício na Alameda Afonso Henriques, no decorrer do qual ataca violentamente o PCP e Álvaro Cunhal.


24 de Novembro

O CR confirma Vasco Lourenço no comando da RML.


25 de novembro

Tentativa de golpe militar conduzido por uma fação das forças armadas, cujo fracasso resultou no fim do Processo Revolucionário em Curso, permitindo que se instaurasse em Portugal uma democracia pluralista, política e constitucionalmente baseada num regime semi presidencialista e, economicamente, baseada numa economia de mercado.